sexta-feira, 4 de julho de 2008

Correr onde? Na rua ou na esteira?

Quando comparadas com a corrida de rua, a esteira possibilita uma observação mais detalhada da passada, da pisada, do ritmo.
Sem contar que facilita entender a relação freqüência cardíaca x velocidade, já que ambos são medidos e mostrados em tempo real, durante todo o exercício.
O aparelho ainda oferece melhor amortecimento do impacto a cada passada e maior queima de calorias – se comparado a outros mecanismos aeróbicos. A atividade exige ainda mais concentração.
Na rua, o ritmo pode ser prejudicado pelo bate-papo com os amigos ou um acontecimento inesperado.
Um bom programa de exercício sobre a esteira pode também apresentar mais qualidade do que na rua se o corredor variar a velocidade e a intensidade do exercício de forma mais precisa. Vale pedir ajuda ao instrutor na academia ou ler as dicas do manual antes de dar início ao treinamento.
Mas lembre-se: alterar os tipos de solo de corrida é uma ótima estratégia. Experimente usar asfalto, grama, areia, esteira, de forma alternada e se possível programada por um profissional de Educação Física.

Um comentário:

luisfelipeavai disse...

Minha opinião sincera:
Os dois aparelhos mais inúteis dentro de uma acadêmia são a esteira e a bicicleta ergométrica. Embora nossa cidade não ofereça infra-estrutura para os praticantes do "running" e do ciclismo nada como uma corridinha ao ar livre. Numa esteira, toda passada é ligada a um mesmo monótono cenário, enquanto ao ar livre a corrida se torna mais prazerosa.