terça-feira, 14 de julho de 2009

Conheça as diferenças entre a bicicleta horizontal e a vertical




Antes de escolher a bike, veja qual delas combina com sua meta. Enquanto uma enxuga a barriga, a outra define pernas e bumbum. Na academia, elas ficam lado a lado e pinta a dúvida na hora de escolher: chamados de horizontal e vertical, os dois modelos de bikes ergométricas são alternativas para perder peso e definir os músculos das pernas e do bumbum. Mas, de acordo com o estímulo produzido, os resultados mudam bastante. "Os dois tipos de bike são ótimos e o ideal é intercalar as pedaladas", afirma o personal trainer Rodrigo Cintra, especialista do MinhaVida. "Aquela mais parecida com um pedalinho é indicada, principalmente, para os alunos com dores nas costas e com foco no trabalho das coxas, enquanto a bike vertical traz mais agilidade". Na entrevista abaixo, você fica sabendo quais são as vantagens de cada modelo e aproveita o melhor deles para entrar em forma.

Quando as costas ficam apoiadas, que músculos são mais solicitados?
As bikes que promovem maior estabilidade da coluna e dos músculos costais são chamadas bikes horizontais. Elas dão maior segurança para quem possui problemas de coluna e ainda concentram os movimentos nos membros inferiores, ou seja, no quadríceps, no bíceps femoral (posterior da coxa), na panturrilha e nos glúteos.

Que modelo protege mais os joelhos?
Os dois tipos não costumam causar danos aos joelhos, principalmente se o usuário pedalar com a sobrecarga mínima e não exagerar na dose diária de treinamento. O que promove lesões são as limitações e patologias pré-existentes ou o chamado "pedalar no vazio", que ocorre quando o aluno pedala sem implementar nenhuma carga existente no aparelho.

O modelo horizontal cansa mais?
O que vai cansar mais ou menos é principalmente a intensidade do exercício, independente do aparelho. Entretanto, a gravidade atua diretamente na execução e dificulta um pouco mais o exercício realizado na bike horizontal. Já na bike vertical a ação da gravidade auxilia a descida do movimento de pedalar, porém dificulta de forma inversamente proporcional no momento de retorno.

Qual a melhor forma de pedalar para aumentar o rendimento?
O aluno deve estender e flexionar a perna com a mesma intensidade e utilizando a própria força para alcançar mais resultados. O principal erro é só fazer força para estender a perna e usar a flexão como recuperação para o movimento inicial.

A postura é favorecida em qual das duas bicicletas?
Na bike horizontal a postura é favorecida, principalmente no que tange a coluna. Entretanto em qualquer bike, para manter uma postura adequada, é preciso ajustar a posição entre pedais, selim (banco) e guidão. Na posição ideal, os joelhos nunca são completamente esticados e a coluna permanece com uma leve inclinação para a frente, sem forçar a lombar.

O gasto calórico é equivalente nas duas bikes?
O gasto calórico depende diretamente do metabolismo de cada pessoa, associado à intensidade do exercício e ao volume de treino. Para queimar mais calorias, o ideal é prestar atenção no conforto: os objetivos são atingidos mais rapidamente quando você prolonga o treino.

Qual das duas é melhor para o trabalho de glúteos?
Devido à instabilidade natural da bike vertical, por não haver apoio nas costas, o trabalho de glúteos é beneficiado neste tipo de aparelho. Mas as duas opções trabalham esses músculos.

A variação de programas é a mesma nas duas?
Com relação aos programas, existem variações nos aparelhos. Mas elas têm funções de programação iguais ou bem parecidas. É importante ressaltar que bikes ergométricas não são feitas para se pedalar em pé, nem as verticais, nem as horizontais. Para este objetivo existem as bikes estacionárias conhecidas como "bikes de Spinning" ou "Bike indoor", que vemos nas academias de ginástica.

Para ter em casa, qual das duas é melhor?
Aconselhar comprar aparelhos para usar em casa é complicado, pois a maioria deles tende a virar um cabide de luxo para pendurar bolsas e roupas. Além disso, o acompanhamento do profissional de educação física é fundamental, pois existem pessoas que têm algumas restrições de coluna ou de joelho, por exemplo.

Quem treina na academia deve alternar o uso de um e outro aparelho?
Não há necessidade de ficar trocando de um tipo para outro de bike, salvo alguma recomendação específica, que pode variar de caso pra caso. Isso pode ocorrer por fator motivacional, treinos intervalados ou até mesmo por restrições.

Como dificultar o treino em cada um dos aparelhos?
Para dificultar o treino, é importante trabalhar com três variáveis: Velocidade X Intensidade (sobrecarga) X volume (tempo do treino) e com treinos intervalados.

Veja a diferença de...Treinar por mais tempo e com pouca carga: promove o aumento da resistência, melhora o condicionamento físico geral e diminui o percentual de gorduraTreinar por menos tempo e com mais carga: o aluno está trabalhando a força, além de favorecer o aumento do volume muscular nos membros inferiores (principalmente pernas) com o passar do tempo.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Como o exercício ajuda a perder gordura?


Algumas pessoas erroneamente acreditam que exercícios não valem a pena o esforço por causa do pequeno número de calorias gastas.

Existe uma grande confusão nos conceitos perder peso e emagrecer. Eles são muito diferentes, pois perder peso implica “apenas” na perda de quilos na balança. Independe do que foi perdido, se foi água, massa muscular ou gordura as pessoas estão mais preocupadas em perder peso do que emagrecer. Vendo apenas pela balança, não sabemos a qualidade do que foi perdido. Se perdemos mais água será facilmente recuperado se houver uma boa hidratação, agora, se a perda foi mais de massa muscular será prejuízo duplo.

Demora-se mais tempo para ganhá-lo novamente e o mesmo é que é o responsável pelo nosso maior ou menor gasto calórico, principalmente no repouso. Conclusão: a perda de peso baseada em perda de água e músculo é desfavorável para quem quer emagrecer; já quando perdemos gordura efetivamente, o benefício será enorme.

Quando o assunto é Corpo Humano é importante entender que ele é composto por inúmeros elementos que são divididos basicamente em massa gorda (composta por gordura essencial e gordura armazenada) e massa magra (livre de gordura: músculos, ossos, órgãos, líquidos e quaisquer outros tecidos).

Quando o peso que foi diminuído for de gordura você vai sentir sensível diferença nas suas roupas e medidas e não tanto em balança. Isto porque a gordura é menos densa (mais leve) e ocupa mais espaço. Já a massa muscular é mais densa (pesa mais) e ocupa menos espaço.

Quando perdemos gordura, vai embora também um pouco de líquidos, pois juntamente com a gordura armazenamos água. Portanto, cuidado para não se iludir com balança. A perda de balança pode ser facilmente recuperada dependendo do que foi perdido

Aumenta o metabolismo

Algumas pessoas erroneamente acreditam que exercícios não valem a pena o esforço por causa do pequeno número de calorias gastas. Por exemplo, andar queima aproximadamente 5 calorias por minuto. Devido ao fato de ter 7000 calorias em um quilo de gordura, iria parecer que você teria que andar 25 horas e 36 minutos para perder 1 quilo de gordura.

Porém a verdade é que mesmo os exercícios moderados aumentam seu metabolismo (queimando calorias) 3 a 8 vezes, durante horas depois do exercício. O efeito residual do exercício, e não o próprio exercício, é o maior responsável pela queima de calorias.

Mantém os músculos

Já que cada quilo de músculo requer 110-220 calorias para se sustentar e que a gordura é queimada quase que exclusivamente nos músculos, manter seus músculos torna-se crucial se você deseja perder gordura.

Os exercícios requerem que você use seus músculos, o que te permite manter (ou ainda aumentar) a quantidade de músculo que você tem. Não fazendo exercício, você irá perder músculo e reduzir sua habilidade de queimar gordura.

Lembre-se que exercícios podem lhe permitir aumentar sua massa muscular ao mesmo tempo em que você está perdendo gordura, e seu peso pode não alterar. Você irá aproveitar todos os benefícios (visuais e de saúde) de uma melhor proporção gordura/músculo, e é isso o que importa.

Aumenta as enzimas que queimam gordura

Você não pode perder gordura sem que a queime em seus músculos. Os músculos tem enzimas muito específicas que queimam apenas gordura.
Pesquisas demonstram que pessoas que se exercitam regularmente tem muito mais enzimas que queimam gordura nos músculos do que pessoas que não se exercitam.

Em outras palavras, os exercícios aumentam a habilidade do corpo queimar gordura mais eficientemente. Isto significa que quanto mais você se exercitar, quanto mais você usar seus músculos, mais enzimas que queimam gordura seus músculos irão desenvolver para queimar mais gordura.

Conclusão

Os benefícios dos exercícios vão muito além da perda de peso. Simplificando, um corpo "em forma" responde diferentemente as coisas do que um corpo com muita gordura. Contrariando o que muitas pessoas acreditam, atletas em forma comumente não fazem uma dieta ideal. Mas por causa dos exercícios e seus corpos musculosos com pouca gordura, as conseqüências são mínimas. Coisas como gordura, colesterol, açúcar, sal, etc. não afetam alguém que está "em forma" da mesma maneira que afeta alguém que é gordo. Pelo ponto de vista médico, exercícios afetam positivamente todos os órgãos do corpo. Exercícios também melhoram seu sono, nível de energia, humor, mente, e trazem um sentimento geral de bem estar. Quanto mais você fizer, mais você irá querer fazer já que os benefícios continuam a aumentar e você consegue os resultados que está procurando. Para terminar, exercício é fundamental para a perda de gordura como também para o melhoramento da qualidade de vida de uma maneira geral.

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Crianças que dormem bem evitam a obesidade

Uma hora a mais de sono é o suficiente para controlar a fome ao longo do dia

Uma boa noite de sono para os pequenos é fundamental para reduzir as chances de desenvolver a obesidade infantil, de acordo com um estudo realizado pela Universidade de Northwestern, nos Estados Unidos. As crianças, com idade entre 3 e 8 anos, que dormem uma hora a mais do que estão acostumadas normalmente, reduzem suas chances de apresentarem excesso de peso em até 36%.

Segundo os pesquisadores, quando a criança dorme a mais do que seu padrão, seu metabolismo se altera e acaba desregulando a produção de dois hormônios principais: a leptina, substância responsável pela sensação de saciedade, e a Grelina, que estimula a vontade de comer.

Durante o sono, a produção de leptina aumenta e a de grelina diminui, fazendo com que as crianças sintam menos fome. Dessa forma, se elas dormem melhor, acordam com a sensação de saciedade aguçada, sentem menos necessidade de beliscar guloseimas ao longo do dia e têm menos probabilidade de ficarem obesas.

A especialista em nutrição do MinhaVida, Ellen Simone Paiva, concorda que uma noite bem dormida auxilia na eliminação de gordura, mas que as características genéticas e os maus hábitos alimentares dos pais também influenciam o desenvolvimento da obesidade dos filhos. Trata-se de fatores que passam de geração para geração e interferem no acúmulo de gordura no corpo. "No caso da obesidade, como em outras diversas situações que envolvem a criação dos filhos, o exemplo conta muito. Se os pais são sedentários e comem mal, é pouquíssimo provável que consigam ensinar bons hábitos aos pequenos", avalia.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

Voltando!

Peço desculpas aos colegas leitores, pela falta de postagens nos últimos meses. Explico: houve uma mudança no provedor da escola onde blogs ficaram bloqueados, depois entrei num projeto de intercâmbio (confira aqui) que foi bastante trabalhoso, grande carga de trabalho, um acidente futebolístico (veja o vídeo) enfim...

Agora, voltamos a postar a partir de amanhã com o blog com força total!

Até amanhã!
video