segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Suplementos Energéticos

A Revista Veja produziu uma matéria sobre os suplementos energéticos e complementos alimentares, como é um assunto dominante, esta semana estaremos postando a sequencia da reportagem.
Os complementos alimentares, indicados a quem sofre de alguma deficiência nutricional ou pratica qualquer atividade física, devem incluir no rótulo uma orientação mais específica: "Recomendável para atletas". É o que pretende a Anvisa, agência responsável pela triagem e classificação dos alimentos. A mudança na legislação tem o objetivo de fornecer uma informação mais precisa sobre o uso de tais complementos. Hoje, muitos são genéricos ao prometer benefícios a todo praticante de atividade física – e muita gente acaba recorrendo a eles sem precisar. A pedido de VEJA, um grupo de especialistas analisou os tipos de complemento alimentar mais vendidos no país e diz: eles, de fato, só devem ser usados por quem pratica um esporte de alta intensidade e com muita frequência (ainda que não seja um atleta). Mesmo assim, só se um nutricionista avaliar ser útil e necessário. Nesses casos, os suplementos podem, sim, se prestar à função de amenizar perdas de nutrientes e neutralizar o desgaste do corpo – além de contribuir para o bom desempenho físico.

Energéticos

O que são: barras, gel ou um pó solúvel em que a concentração de carboidratos é de 90%
Como funcionam: como os carboidratos contidos nos alimentos, mas com a diferença de que estes são absorvidos pelo organismo em um terço do tempo. Eles se quebram e se transformam na glicose que, uma vez nas células, será combustível para um processo químico que resulta em mais energia para o corpo. Como o consumo de energia é maior durante a atividade física, a idéia é fazer um estoque

Para quem são indicados: praticantes de exercícios que exijam grande força física, como musculação ou corrida – somente nos casos em que eles excederem uma hora de duração. Abaixo disso, a alimentação regular é suficiente
Efeito, segundo os especialistas: aumentam em algo como 10% o tempo que o corpo suporta um exercício sem se cansar
Quando consumir: até três horas antes do treino
Comentário: jamais usar em qualquer outra situação que não a de um exercício mais pesado, uma vez que os carboidratos extras não serão gastos e se tornarão gordura

Um comentário:

luisfelipeavai disse...

Ainda bem que meus exercícios duram mais de uma hora.
É preciso que os diversos segmentos da sociedade, inclusive alguns profissionais de educação física parem com esse estereótipo. Suplemento não é bomba! Por outro lado há aqueles profissionais que recomendam e se acham no direito de recomendar suplementação.
Lembre-se, uma dieta rica em carboidratos e proteínas só surte efeito, se a atividade física for bem feita. Críticas para aqueles que acham que há milagre em suplementação. Não existe meios de ficar bombado do dia pra noite. Tudo é uma questão de paciência. Suplemento nada mais é que comida. A dúvida é: Você prefere comer um prato de macarrão ou tomar uma malto docinha depois da academia?